8ª Imersão em Dança Contemporânea

Alex Soares

 
Coreógrafo e videomaker, Alex Soares começou a criar em um workshop para novos 
coreógrafos do Balé da Cidade de São Paulo, onde ainda atuava como bailarino. 
Sempre muito interessado em video e suas vertentes, Alex também estudou cinema, 
com intuito de utlizar estes conhecimentos em suas produções cênicas e também na 
criação de videodanças. 
Sua videodança Por um momento perdido (2009) recebeu o prêmio de melhor vídeo no 
Festival do Minuto de 2010 e no ano seguinte foi convidado pela Noord Nederlandse 
Dans, companhia sediada em Groningen, Holanda, para criar uma videodança.
Em 2012 foi um 16 finalistas do 26th International Choreography Competition, evento 
que anualmente reúne promissores coreógrafos da dança mundial em Hannover, Alemanha. 
No mesmo ano ganhou o 4th Pretty Creatives International Choreography Competition, o que possibilitou criar Trace in Loss para a Northwest Dance Project, 
companhia sediada em Portland, Estados Unidos. Em 2013 criou a obra Link para a 
Ribeirão Preto Cia de Dança, que ganhou o Prêmio de Criação Coreográfica do Ano pela 
Cooperativa Paulista de Dança. Desde 2010 dirige em São Paulo seu próprio 
núcleo artístico, o Projeto Mov_oLA. Como coreógrafo convidado trabalhou com 
companhias no Brasil: Balé Teatro Guaíra, Balé da Cidade de Niterói , Balé Teatro 
Castro Alves, Cia Sesc de Dança, Ribeirão Preto Cia de Dança, Corpo de Baile do 
Amazonas e Balé da Cidade de São Paulo.No exterior: Noord Nederlaãndse Dans (Holanda),
Northwest Dance Project de Portland (EUA) e a Hubbard Street Dance Chicago (EUA).

 

Cristina Machado

Bailarina e diretora de dança, Cristina Machado trabalha com a criação gestual dos bailarinos para uma  direção  dramatúrgica e coreográfica. Tem  se  dedicado aos  estudos  do GYROTONIC EXPANSION SYSTEM® e sua aplicação didática na execução e refinamento de movimentos. 
Consolidou seu trabalho artístico na Cia. de Dança Palácio das Artes(CDPA), grupo estatal que dirigiu por mais de 10 anos,  onde propôs e consolidou o perfil do seu elenco como bailarinos 
criadores intérpretes. Foi bailarina da CDPA anteriormente de1989-1999. 
Ministra oficinas de dança e é professora de GYROKINESIS® e GYROTONIC®. 
Em Belo Horizonte, colabora com a Cia. de Dança Mimulus e com o Centro de Formação Artística e Tecnológica - CEFART. 
Em 2002 recebeu Prêmio de Intercâmbio do Taipei Artists Village - Taiwan, que lhe proporcionou experiência de criação com bailarinas chinesas e resultou no duo Mira! estreado no Brasil em 2003 com uma bailarina brasileira e uma chinesa. 
Como diretora de espetáculos, coreografias e performances considera que seus trabalhos mais significantes foram realizados em parceria com outros diretores para a Cia de Dança Palácio das Artes como Sonho de uma noite de verão - fragmentos amorosos(2002), sob direção de Gabriel Villela, brancoemMim (2013) com co-direção de Sônia Mota, e MU - entre a coreografia e a habitação(2014), com co-direção de Patricia Werneck. 
O espetáculo Transtorna (2006) que  dirigiu  para a CDPA em 2006 representa, para  Cristina o momento mais ousado da Companhia sob sua direção. 
Como curadora destaca atividades realizadas no  Festival de Dança do Amazonas, Atelier de coreógrafos  brasileiros – BA e a Mostra de Videodança do Festival Internacional de Curtas Metragens de Belo Horizonte. Em 2015 e 2016 integrou a banca julgadora da Mostra Competitiva de Dança Contemporânea do Festival de Dança de Joinville.

 

Luis Ferron

Artista da Dança paulistana desde 1983, pós graduando em Artes da Cena pelo Instituto de Artes da Universidade de Campinas - UNICAMP, tem como mote para as suas criações coreográficas o transito entre corpo, cultura e memórias.

Envereda também por outros projetos de criação e difusão da dança cênica desenvolvendo criações coreográficas que interagem com diversos núcleos e artistas independentes de São Paulo e território nacional.

Como referência dos seus trabalhos podemos citar: 
rêmio RUMOS DANÇA ITAÚ CULTURAL/ edições 2006-2007 e 2012-2014 para o desenvolvimento de pesquisa que culminou na produção das obras Desmundos – Diálogos 1 e HTML: O corpo hypertexto.

Prêmio APCA – 2009 categoria concepção e o prêmio Bravo! 
Bradesco Prime de cultura 2010 de melhor espetáculo,

ambos para a obra Sapatos Brancos.
Prêmio APCA - 2012 categoria melhor espetáculo de dança e finalista Prêmio Governador do Estado de São Paulo para a Obra Baderna. 
Ferron busca em cada parceiro artista uma história além da corporeidade treinada para a cena. Tem interesse numa corporeidade histórico-cultural que possibilite algo além do gesto e potencialize a criação a partir dos individuos, suas singularidades e seus ineditismos.

 

 2014 por Estúdio em Cena Escola de Dança

  • Facebook Clean